• PortuguêsEnglishEspañol
  • Fãs acampam nos arredores do Anhembi aguardando Bieber e Maiden

    Texto:

    16/09/2013 19:31

    Por Suzana Pertinhez e Mateus Maropo

    Fãs de Iron Maiden. Foto: Mateus Maropo/ SPTuris.

    Fãs de Iron Maiden. Foto: Mateus Maropo/ SPTuris.

    Os fãs de Justin Bieber e Iron Maiden não aguentaram esperar. Semanas antes dos shows, chegaram para garantir lugar na grade, pertinho dos ídolos.

    Desde domingo, os fãs de Iron Maiden montaram suas barracas na Avenida Olavo Fontoura à espera do show da banda que acontece sexta-feira. Sobrevivendo à base de salgadinho, refrigerante e doces, nem frio ou chuva conseguiram afastar os fanáticos do portão. “A gente conversa, joga baralho, ou ficamos o dia inteiro sem fazer nada, mas não saimos daqui”, diz Vitória Cristia, de 18 anos, a primeira a chegar.

    A maioria nem se conhecia até se encontrar nas barracas, como é o caso de Roberto Leonardo, 32, que abriu mão de comemorar o próprio aniversário com a namorada no dia 18 para estar na fila. “Não troco o Iron Maiden por mulher nenhuma. Mulher, tem várias por aí, o tour é um só. Este é o melhor presente pra mim”, garante. O primeiro show do Iron a que compareceu o auxiliar administrativo foi em 1992, no Palestra Itália, quando conseguiu entrar mesmo sendo menor de idade.

    Juliana Hornnik, 28, trouxe o irmão Lucas, de 18, para o show e também para o acampamento. Com poucas roupas na mochila, eles confessam que o segredo é revezarem-se: enquanto um vai para casa tomar um banho, o outro fica para garantir a barraca e o lugar. Acostumados a escutar as músicas da banda desde pequenos, afirmam que “o esforço vale cada segundo”.

    Fãs de Justin Bieber. Foto: Mateus Maropo/ SPTuris

    Fãs de Justin Bieber. Foto: Mateus Maropo/ SPTuris

    Mais ansiosos ainda são os fãs de Justin Bieber, que estão desde o dia 13 de setembro acampados esperando o show, que acontece só no dia 2 de novembro. São dezenas de jovens entre 10 e 21 anos que se revezam em “turnos” para que ninguém falte na escola e o lugar na grade fique reservado. A maioria mora longe (Santo André ou Itaquera, por exemplo) e diz ter permissão dos pais, que já estão até acostumados.

    A estudante Paloma do Nascimento, de 15 anos, foi a terceira na fila do primeiro show de Justin em São Paulo, em 2011. Desta vez, superou sua marca e foi a primeira a chegar. Ao contrário dos rockeiros, ela já tem tudo combinado: encontrar o grupo já marcado para poder fazer o revezamento, ir para escola todas as manhãs, voltar para casa, comer, tomar banho e retornar à barraca.

    Stephanie Carolina, 16, conta como funciona o dia a dia: “Além de fazer trocas entre quem estuda de dia e à noite, usamos os banheiros do supermercado ou do posto de gasolina e aproveitamos para carregar a bateria do celular. Alguns pais também ajudam as vezes e vêm com os filhos, levam para onde precisa e trazem comida”.

    Quando perguntados sobre o que pretendem fazer no show quando virem o ídolo, a maioria não consegue nem dizer. “A gente vai começar a chorar aqui”, desabafa Stephanie.

    “Todos temos sonhos e queremos alcançá-los, mas, às vezes, as pessoas ou a vida nos jogam pra baixo e ele nos ensinou a acreditar, a ter esperança. Com o Justin a gente volta a acreditar nos sonhos”, afirmou Nayra Lais, 16, uma das “beliebers”.