• PortuguêsEnglishEspañol
  • Carnaval no Sambódromo do Anhembi gerou impacto econômico de R$ 227 milhões em São Paulo

    Texto:

    09/03/2020 10:16

    Pesquisa do Observatório de Turismo e Eventos da SPTuris apontou que turistas representaram 36,7% do público e gastaram, em média, R$ 865 em quatro dias na cidade

    Desfile da Águia de Ouro, campeã do Carnaval de SP 2020. Foto: Jose Cordeiro/ SPTuris.

    Desfile da Águia de Ouro, campeã do Carnaval de SP 2020. Foto: Jose Cordeiro/ SPTuris.

    A escola de samba campeã do Carnaval de São Paulo 2020 foi a Águia de Ouro, após a Apuração dos desfiles no Sambódromo do Anhembi realizada 25 de fevereiro. E a cidade também comemora a movimentação financeira trazida pelos turistas que assistiram aos desfiles na passarela do samba.

    Segundo pesquisa realizada pelo Observatório de Turismo e Eventos da SPTuris (empresa municipal de turismo e eventos), a presença de turistas foi de 36,7%, com aumento de pessoas do interior do Estado de São Paulo e de outros Estados, em comparação a 2019. O gasto médio desses visitantes com hospedagem, transporte, alimentação, compras e outras opções de lazer foi de R$ 865 durante praticamente quatro dias de permanência média. O impacto financeiro do evento na cidade é de R$ 227 milhões, considerando-se a cadeia produtiva do turismo na capital paulista, além dos investimentos feitos para a realização dos desfiles.

    Outro dado relevante foi que, entre os paulistanos entrevistados, mais da metade (53,5%) afirmou a preferência por permanecer na cidade motivados pelo Carnaval – inclusive por causa dos blocos do Carnaval de Rua. Entre todos os que responderam à pesquisa, 37% disseram que, além do Sambódromo, iriam a blocos, desfiles nos bairros ou bailes de Carnaval.

    Sabrina Sato, rainha de bateria da Gaviões da Fiel. Foto: Jefferson Pancieri/ SPTuris.

    Sabrina Sato, rainha de bateria da Gaviões da Fiel. Foto: Jefferson Pancieri/ SPTuris.

    A faixa etária predominante foi de 30 a 39 anos (25,7%), seguidos de 21,1% com 40 a 49 anos. O gênero predominante é o feminino (55,2%). Os meios de transporte mais utilizados para se chegar ao local foram carro e metrô, ambos com 30,6% da preferência, seguidos de ônibus, com 32,1%, e aplicativos, com 25,6% (mais de uma resposta era permitida). Entre os moradores, a maioria dos entrevistados, 32,7%, são da zona Leste, seguidos de 28,8% da zona Norte e 19,3% da zona Sul. Entre os estrangeiros, a principal procedência foi Santiago, com 0,9% e, entre os países, a Alemanha, com 0,3%. Em relação a outras cidades do Brasil, a principal procedência foi de Florianópolis, com 6% e, entre os Estados, o Paraná, com 1,2%. Comparando-se cidades do interior do Estado, o destaque fica com Campinas, com 11,2% dos entrevistados. Na grande São Paulo, o principal emissor é Guarulhos, com 19,5%.

    Confira abaixo os dados prévios da pesquisa realizada no Sambódromo do Anhembi com mais de 1.400 pessoas em todos os setores destinados ao público pagante, nos dias 21 e 22 de fevereiro, durante os desfiles do Grupo Especial. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. Os dados consolidados para o relatório final serão disponibilizados em breve no site: www.observatoriodoturismo.com.br .

    Pesquisa de Carnaval no Sambódromo 2020

    Moradores x turistas

    2019
    Residentes em SP: 57,9%
    Grande SP: 24,6%
    Interior de SP: 10,3%
    Outros estados: 4,9%
    Internacional: 2,3%

    2020
    Residentes em SP: 63,3%
    Grande SP: 14,8%
    Interior de SP: 14,1%
    Outros estados: 6,4%
    Internacional: 1,4%

    Ficou em São Paulo motivado pelo Carnaval? (Pergunta exclusiva aos paulistanos) 

    2019: Sim 55,7%
    2020: Sim 53,5%

    Recebeu amigos e/ou parentes em casa para curtir o Carnaval em São Paulo? (Pergunta exclusiva aos paulistanos) 
    2019: 20,3%
    2020: 24,7%

    Pretende realizar alguma atividade ligada ao Carnaval em São Paulo durante sua permanência na cidade? 
    2019: 31,4%
    2020: 37%

    Permanência média dos turistas em São Paulo 
    2019: 5 dias
    2020: 4 dias

    Gasto médio no período de permanência (inclui transporte, alimentação, compras, hospedagem e lazer na cidade) 
    2019: R$ 1.060,00
    2020: R$ 865,0

    Hospedou-se em hotéis na cidade: 
    2019: 26,2%
    2020: 19,2%

    Atividades turísticas que realizou na cidade durante a permanência (permite múltiplas respostas; somatória acima de 100%):

    • Gastronomia 33,3%
    • Compras 18,0%
    • Passeios turísticos 11,8%
    • Vida noturna / bares 11,5%
    • Parques / Áreas verdes 9,8%
    • Teatro / Cinema / Show 8,8%
    • Museus / Centros culturais 8,1%
    • Visita a parentes e amigos 6,4%
    • Outras 1,9%
    • Negócios / Eventos 0,6%
    Pesquisadora faz entrevista com o público do Sambódromo. Foto: Jose Cordeiro/ SPTuris.

    Pesquisadora faz entrevista com o público do Sambódromo. Foto: Jose Cordeiro/ SPTuris.

    AVALIAÇÃO DO EVENTO

    Porcentagem de avaliações positivas (resposta “sim”) para as seguintes afirmações:

    Os banheiros disponíveis foram suficientes. 
    2019: 56%
    2020: 59,4%

    Vi ambulâncias para atendimento emergencial. 
    2019: 67,3%
    2020: 75,7%

    A circulação pela arquibancada foi fácil. 
    2019: 88,4%
    2020: 94,9%

    Sinto-me seguro dentro do Sambódromo. 
    2019: 93,3%
    2020: 93,4%

    O evento está bem organizado.
    2019: 88,1%
    2020: 92,3%

    A organização melhorou em relação aos anos anteriores. 
    2019: 61,8%
    2020: 75,9%

    Boa variedade de alimentos e bebidas. 
    2019: 59,6%
    2020: 61,4%

    Cheguei com facilidade ao Sambódromo.
    2019: 84,2%
    2020: 92,6%

    A arquibancada estava limpa. 
    2019: 84,9%
    2020: 89,9%

    A Prefeitura deve continuar investindo no Carnaval de São Paulo. 
    2019: 97%
    2020: 96,2%

    Informação e sinalização foram suficientes para minha orientação. 
    2019: 79,3%
    2020: 77,2%

    Nota para o Sambódromo: média 8,7, mediana 9 e moda, 10.

    Pesquisadora faz entrevista com o público do Sambódromo. Foto: Joyce Cury/ SPTuris.

    Pesquisadora faz entrevista com o público do Sambódromo. Foto: Joyce Cury/ SPTuris.